quinta-feira, 17 de junho de 2010

Box 43: nos porões da ditadura de 1964

Carlos Oliveira é um dos maiores artesãos do Piauí. Porém, maior é ele com divulgador das coisas e das gentes do Piauí. Um dos fundadores e presidente da Associação de Artesãos do Estado, fincou pé no Box 43 do Centro Artesanal Mestre Dezinho, que já foi Quartel de Polícia, ali na P II. Acontece que o Box 43 era uma das salas, senão a sala principal de tortura da ditadura militar de 1964. O Antônio José Medeiros e o Geraldo Borges, dentre outros, que contem a história melhor, porque sobreviventes da sala que, agora, está ficando de uma famosidade grande por conta das histórias que ali são contadas e mostradas pelo Carlos Oliveira. A Sala, na parte de baixo, era da tortura, mas, na parte de cima é dos milhões de trabalhos do Carlos Oliveira que, na sua generosidade, ainda vende os trabalhos dos outros, assim como eu, que estou aproveitando carona dele e faturando alto com a venda dos meus livros no Box 43. Espiem só o Carlos Oliveira com uma mão na grade de entrada da sala de tortura (ainda hoje com manchas de sangue por todas as quatro paredes, teto e piso) e outra segurando a História do Piauí, de minha autoria e do meu irmão historiador e professor Gervásio Santos, presidente regional do PSTU. Foto de Kenard Kruel.

3 comentários:

Fabio Rossano disse...

Estive ontem visitando o Centro Artesanal Mestre Dezinho e fui muito bem recebido pelo Carlos, simpático e talentoso artesão, que me mostrou esta sala de tortura do período militar, onde muitos trabalhadores e estudantes foram torturados e mortos. Seria interessante que o Box 43 se transformasse num Museu da Tortura, onde informações fossem dadas sobre este período negro da nossa história.

Kenard Kruel disse...

É verdade. embora o carlos esteja fazendo um bom trabalho de divulgação, aquela sala deveria ter outra formatação. mas, nestas terras de macunaímas, aquele espaço não tem quase importância alguma.

Hélio Costa Costa disse...

Estive ontem falando e entrevistando o Carlos, figura simpatica, e vou fazer um pequeno video sobre ele e o porão, queria sua autorização para usar o seu texto, colocando no final do vídeo seus créditos,agradecido Hélio Costa.