sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesia, pois é, poesia

mar de tutóia. foto de kenard kruel.

Revolução 

O
mar
pode
submergir
a cidade
e transformar o concreto
e suas estruturas de aço
em paisa
gens 
de algas
e
sargaços
Até que o pesadelo
anti-
humano
se
desfaça
e a vida 
sempreplena
bataforte
nas antenas
de 
sua 
raça 

Menezes y Morais (pseudônimo de José Menezes de Morais),
in Outros Poemas,
Coletivo de Poetas (Brasília-DF, 1992).
Capa: Sgreccia.

Um comentário:

Valter Lima disse...

Poesia Pois é Poesia (Décio Pignatari)
A cavalo de galope ou num simples galopar Nos Cavalos de dom Rufatto, e se por acaso tivermos a sorte de nos desviar da indesejada das gentes, corremos todos atrás da Poesia...
sem sabermos, ela é que nos persegue, tal como sombra diária ou um detetive das crônicas policiais...
Estamos todos nesse Carrossel, que sempre roda roda e cheio que está de Cavalos, mas o importante é nós que somos os cavaleiros e lhe ditamos o ritmo.
Continuemos a girar nesse Carrossel e coragem nessa luta da vida.

" Entre escolher
montanha-russa
roda-gigante
ou trem fantasma,
eu escolhi
meu Carrossel" (Carrossel)